Cuidados, Dicas e Notícias
Inchaço na orelha do seu cão: o que pode ser? (04/05/2020)

As coceiras, o esfregar no chão ou na grama, mordidas com outros animais e mesmo as colisões acidentais dos cachorros podem causar o que chamamos de Otohematoma. Mas o que seria exatamente isso e qual o tratamento adequado para esse problema?

Bem, o Otohematoma é um trauma auricular bastante comum e existem várias formas de tratar essa anomalia, que apenas o veterinário poderá indicar, após consulta. Ainda assim, vamos dar aqui um panorama geral sobre o que é e os tratamentos para esse inchaço nas orelhas. Confira!

O que é?

O Otohematoma é geralmente causado por algum trauma na orelha do cão - e raramente de gatos - que faz com que alguma veia ou vasinho seja rompido. Esse sangue acaba acumulando sob a pele do animal, formando uma bolsinha de fluído. Esse inchaço causa coceiras, incômodo, além de ficar dolorido também.

Se, por um acaso, seu cachorro esteja com dificuldade a mover a cabeça e houver um aumento de volume na orelha, é provável que ele esteja sentindo muita dor, chegando ao nível mais grave.

Tipos de tratamentos

Assim que identificado o problema, o pet deve ser encaminhado para o veterinário o quanto antes. O profissional irá avaliar a melhor forma de drenar o líquido, relativo ao estado em que está, tamanho e gravidade. O Otohematoma pode ser auto-limitante, ou seja, também pode desaparecer sozinho, nos casos mais simples.

É possível que o veterinário tente drenar o sangue com uma seringa e agulha. Porém, apesar de prático e não precisar de anestesia, é mais efetivo apenas em fluídos recentes.

Além dessa técnica, existem os drenos, que são tubinhos com base de silicone que ligam o Otohematoma ao lado de fora, formando um canalzinho por onde o fluido pode ser eliminado. Um pouco mais complicadinho, ele é usado por cerca de 14 a 21 dias.

Em casos de Otohematomas grandes e crônicos, é quase sempre recomendada a incisão cirúrgica, mais invasiva, mas que elimina o problema de uma vez por todas.

Raças com maior tendência

Não existe nenhuma raça que tenha maior possibilidade de desenvolver o otohematoma que outra. O que pode acontecer é que cães com as orelhas mais longas, como Basset e Cocker, têm uma janela maior de possibilidades para esse tipo de trauma.

Há também os casos de cachorros com otite, que podem ter Otohematoma pelo excesso de coceira nas orelhas. Em qualquer um dos casos é ficar atento e sempre buscar o auxílio de um profissional da área que você confie!

Assine nossa Newsletter
Mapa do Site