Cuidados, Dicas e Notícias
Popularidade felina (19/01/2015)

Há tempos que a cara da família moderno está se alterando. Casas com quintais espaçosos e famílias numerosas, em que as mães eram donas de casa e cuidavam de tudo estão cada vez mais no passado.

É nesse ambiente deliciosamente nostálgico que os cães faziam mais sentido que os gatos, por serem amistosos, companheiros, divertidos, mas que requerem mais cuidados e atenção que seus arqui-inimigos felinos. Muda-se o tempo, adaptam-se aqueles que querem continuar vivendo nele. E assim cada vez mais os lares brasileiros têm buscado a companhia dos gatos à companhia dos cachorros.

A expansão e o enriquecimento das cidades e as mudanças demográficas fizeram com que o número de felinos crescesse aceleradamente em vários países. Nos Estados Unidos, na França e na Alemanha, a população de gatos já é maior que a de cães.

No Brasil, a virada deve ocorrer daqui a dez anos, pelos cálculos da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Em vista dos cães, os gatos trazem inúmeras vantagens. Não é preciso levá-los para tomar banho a cada quinze ou trinta dias. Sua língua áspera, com pequenos espinhos curvos, se encarrega de coletar os pelos velhos, retirar as células mortas e as sujeiras do corpo. Ao contrário dos cães, que precisam de grandes áreas para correr e brincar, os gatos aproveitam o espaço vertical. Sobem nos armários, escalam prateleiras e trepam até mesmo na geladeira. As preferências entre cães e gatos frequentemente geram discussões acaloradas entre seus donos.

Para os do primeiro grupo, felinos são egoístas e esnobes. Na realidade eles apenas são autossuficientes e dispensam a necessidade completa de seus donos. É essa qualidade que os torna tão atraentes para a modernidade.

Assine nossa Newsletter
Mapa do Site